A inevitabilidade de subir apenas para descer

The inevitability of rising only to go down

A olhos nus, a Torre H, para aquela parte da Barra da Tijuca, permanece a mais alta edificação. Na cobertura, no 37º andar, Igor Vidor instala uma cama elástica que desafia novamente a altura e a gravidade. Jogar-se do alto, mas ter onde cair. A possibilidade de estar mais alto, mesmo que por instantes, de todo o resto, e experimentar a paisagem em fragmentos. 

 

Trabalho faz parte do projeto Permanencias e Destruiçoes 2016.

 

To the naked eye, Tower H, for that part of the neighborhood of Barra da Tijuca, remains the highest building. On the roof, on the thirty-seventh oor, Igor Vidor installs an elastic bed that again de es height and gravity. row yourself from the top, but have where to fall. e possibility of being higher, even brie y, from everything else, and experiencing the landscape in fragments. 

Show More