surf residence programme 

 A residência consistia em uma casa, no litoral de São Paulo. Doze pessoas residiram por três dias nesta residência e lá receberam aulas de surf. Foram duas as situações de residência. Das doze pessoas, oito foram na primeira situação e quatro na segunda.

A casa foi montada para permitir uma imersão dos residentes diante de materiais históricos, visuais, audiovisuais, que giram em torno do contexto do surf, como estilo de vida (idealizado), produto (consumo) e prática esportiva. Havia no espaço de residência, fotografias, textos, elementos decorativos, revistas especializadas, pranchas de surfe, roupas especificas para prática, filmes e vídeos sobre surf, musicas e trilhas sonoras, um cardápio com peixes e comidas leves.

Todos dividiram o mesmo espaço, que contava com uma única área de convivência (quarto, sala e cozinha ao mesmo tempo), um banheiro e uma lavanderia.

Já as aulas, teóricas e práticas, ocorreram nas manhas e tardes.

Surf Residence Programme tem em seu formato uma tentativa de descentralizar a obra de arte como objeto absoluto, pelo menos no que diz respeito a experiência.

SRP se constitui de várias situações distintas de tempo e espaço, como seu  projeto, a realização, sua documentação, apresentação/instalação e texto.

E vem cada vez mais expandindo seu campo de atuação como na residência realizada no Atelie Aberto em Campinas, e na instalação montada no 42º Salão de Arte Contemporanea de Piracicaba.

 

 

Acervo Pinacoteca Miguel Dutra

1º prêmio 42 SAC Piracicaba-2010

iwmdmwidmw